Consórcio formado por Equatorial leva concessão de saneamento no Amapá; outorga foi de R$ 930 milhões

Saneamento-Oficial

SÃO PAULO – O consórcio Marco Zero, formado pela controlada da Equatorial ([ativo-EQTL3]) foi o vencedor do leilão de concessão de saneamento do estado do Amapá, realizada nesta quinta-feira (2) na B3.

O vencedor do certame tem o compromisso de promover o abastecimento de água, além da coleta e tratamento de esgoto, para 738 mil habitantes nas áreas urbanas de todos os 16 municípios do Estado do Amapá.

A previsão é de investimentos em infraestrutura será na ordem de R$ 3 bilhões durante os 35 anos de contrato.

O consórcio vencedor foi formado pela Equatorial Participações e Investimentos III, na qualidade de consorciada líder e com uma participação de 80%, e pela SAM Ambiental e Engenharia, detentora de participação dos 20% restantes no consórcio.

A proposta vencedora propôs um deságio em relação a tarifa de referência de 20% e um valor de outorga no montante de cerca de R$ 930 milhões.

A Equatorial informou em comunicado ao mercado que, nos termos do edital, a outorga da concessão está condicionada ao atendimento de determinadas condições e formalidades, que incluem a adjudicação do objeto do leilão, a comprovação da subscrição e integralização do capital social da Sociedade de Propósito Específico (SPE), no valor de R$ 50 milhões, e a comprovação do pagamento de 100% do valor da outorga, dentre outras formalidades.

“A concessão marca a entrada da companhia no segmento de saneamento e representa um importante passo na estratégia de crescimento do grupo no setor de infraestrutura, sempre buscando disciplina na alocação do capital. O modelo de gestão da Equatorial baseado em uma cultura de dono, alinhamento de toda a cadeia para os resultados, e com excelência operacional já trouxe grandes resultados no setor elétrico e será agora implementado neste novo segmento”, destaca a Equatorial em comunicado.

Na avaliação do Credit Suisse, o ativo é de boa qualidade e marca o movimento da Equatorial para obter o primeiro ativo da saneamento. Contudo, destaca o pagamento alta da taxa de concessão. Assim, os analistas da casa veem que o mercado receberá bem novas alternativas de crescimento, mas certamente demandará mais detalhes sobre os números apresentados.

Às 16h37 (horário de Brasília), o ativo EQTL3 caía 1,10%, a R$ 26,02, em um dia bastante negativo para o Ibovespa, que caía 2,4%.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.

The post Consórcio formado por Equatorial leva concessão de saneamento no Amapá; outorga foi de R$ 930 milhões appeared first on InfoMoney.