A Renner vai às compras por você

A estratégia é tornar-se cada vez mais omnichannel

A partir da inteligência de dados, a loja envia a consumidores interessados peças que acreditam combinar com seus estilos

A pandemia forçou a Lojas Renner a se tornar ainda mais inovadora. A mudança de comportamento dos consumidores foi inevitável e para o CEO Fabio Faccio, vista como oportunidade de se reinventar. O objetivo, segundo ele, é “ser uma empresa ainda mais encantadora para os clientes.” Um desafio que ficou ainda maior durante o primeiro trimestre, quando a empresa se deparou com um resultado de queda de 12% na receita de vendas em comparação com o mesmo período em 2020.

A estratégia é tornar-se cada vez mais omnichannel, palavra que já indica o objetivo de onipresença da rede. Os investimentos em TI vêm sendo cada vez mais ampliados. Uma novidade vem gerando resultados positivos: o fashion delivery, conhecido popularmente como “malinha”. Indo além do comércio on-line – que, a essas alturas, já se tornou tradicional –, o delivery é um tipo de venda totalmente personalizada. A partir da inteligência de dados, a loja envia a consumidores interessados peças que acreditam combinar com seus estilos, baseado em experiências prévias no e-commerce.

Após experimentá-las, os clientes podem decidir se ficam ou não com as roupas. Esse modelo de vendas vem sendo testado desde 2019, originalmente como uma ação chamada YouCom Na Sua Casa. Nessa experiência, a taxa de conversão, isto é, de efetividade de compras, chegou a 92%, sendo equivalente ao faturamento de uma loja física da YouCom. Não há maneira melhor de interpretar aquela máxima que diz que, se os clientes não podem ir até a loja, a loja deve ir até eles.

Esse conteúdo integra a edição 337 de AMANHÃ que revelou quem são as empresas mais inovadoras do Sul. Clique aqui para acessar a publicação on-line, mediante pequeno cadastro.