Caso de polícia e área perigosa, diz Mourão sobre desaparecidos na Amazônia

Em entrevista à imprensa nesta segunda-feira (13), o vice-presidente Hamilton Mourão falou sobre o desaparecimento do indigenista Bruno Araújo Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips na Amazônia.

“É um caso de polícia, uma região inóspita, afastada de tudo, na fronteira com o Peru, do lado do Peru uma serie de ilegalidades acontece, e do nosso lado também. As duas pessoas entram numa área que é perigosa sem pedir uma escolta, sem avisar efetivamente as autoridades competentes e passam a correr risco, lamentavelmente é isso aí”, disse Mourão.

O vice-presidente afirmou, ainda, que espera a resolução do caso. “Vamos torcer para que eles estejam com vida e tenham sido simplesmente aprisionados, seja lá o que for, ou conseguido se evadir das pessoas que estavam tentando fazer algum dano a eles e estão vagando por dentro da selva”, concluiu.

Material encontrado pertence à dupla, diz PF
A Polícia Federal (PF) confirmou que o material encontrado neste domingo (12) na Amazônia pertence ao indigenista e ao jornalista inglês, que sumiram no último dia 5 quando faziam o trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael até o município de Atalaia do Norte, no Amazonas.

De acordo com nota enviada pela corporação, foram encontrados um cartão de saúde, uma calça, um chinelo e um par de botas pertencentes a Araújo; e um par de botas e uma mochila com roupas de Dom Phillips.

Segundo o comitê de crise instaurado pela Polícia Federal, as buscas neste domingo se concentraram na região do rio Itaquaí, “especialmente na área onde foi encontrada uma outra embarcação aparentemente de propriedade de Amarildo da Costa Oliveira, que se encontra com prisão temporária decretada por conta dos fatos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui