Rotulagem de medicamentos: entenda como funciona esse processo no ramo farmacêutico

Manoel Conde Neto
Manoel Conde Neto

Sabemos que a rotulagem de qualquer produto é extremamente importante para sua comercialização, não é mesmo? O empresário Manoel Conde Neto entende que para os medicamentos não seria diferente, especialmente, por serem produtos destinados à saúde global. Sendo assim, a rotulagem de medicamentos se mostra importante por conter informações que possibilitam a identificação dos medicamentos, durante seu controle e seu uso, logo se possui interesse em entender como funciona esse processo, leia o artigo até o final!

 

É válido mencionarmos que a rotulagem também se mostra essencial para o correto armazenamento desses medicamentos, assim como seu rastreamento. Além disso, como pensa Manoel Conde Neto, essa rastreabilidade funciona desde o ponto de fabricação até o seu consumo e, assim, a rotulagem segue tendo seu papel no quesito de conter informações pertinentes para o uso seguro do medicamento.

 

Como funciona a regulamentação da rotulagem?

Certamente, é de seu conhecimento que a rotulagem precisa ser um segmento altamente regulamentado, haja vista que o processo deve seguir um padrão. Na visão do fundador da Farma Conde, por ser uma área da saúde, a rotulagem deve seguir cuidados especiais, isso porque as informações presentes no rótulo devem ser claras e não gerar dúvidas. Ademais, é importante se atentar na forma como esse rótulo é inserido nas embalagens de forma que não perca as informações.

 

Sabemos que há duas embalagens na maioria dos medicamentos: a primária e a secundária. Como entende Manoel Conde Neto, as embalagens primárias são aquelas que estão em contato direto com o medicamento, podendo ser ampolas, vidros, cartelas etc. Já quando falamos das embalagens secundárias, estamos nos referindo às caixinhas comumente vistas nas farmácias, que comportam as embalagens primárias.

 

Pensando nisso, o rótulo deve ser pensado para ser inserido em ambas as embalagens, contendo todas as informações necessárias. Para isso, é importante que a legislação RDC n°71 seja seguida com prontidão, de modo que todos os cuidados sejam tomados, evitando que a rotulagem saia da forma incorreta ou inadequada. Vale lembrar, que a rotulagem deve ser feita de forma que facilite a leitura visual, e esteja em fácil entendimento.

 

O que deve constar nos rótulos?

Na percepção de Manoel Conde Neto, os medicamentos no geral, devem conter em seus rótulos: nome comercial e seu princípio ativo, via de administração, peso, forma farmacêutica, restrição de uso, acessórios dosadores, composição qualitativa e quantitativa de cada princípio ativo, cuidados com a sua conservação, além de informações do fabricante e da empresa responsável pela embalagem, como nome, endereço, CRF, CNPJ.

 

Mas você sabia que a legislação obteve novas regras para rotulagem? Assim como Manoel Conde Neto considera, será imprescindível que o nome do medicamento esteja disposto impresso em Braille nas caixas, assim como a impressão do número do lote e da data de validade devem estar em cor e contraste legível. Outra mudança foi nas informações de alertas, em que as frases de alteração de cuidados de conservação ou redução de prazo de validade devem ser inseridas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui