Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit

Superávit primário chegou a R$ 2,9 bilhões em outubro

Até outubro, o déficit primário acumulado do setor público consolidado estava em R$ 632,9 bilhões

Depois de oito meses seguidos de resultado negativo, as contas públicas fecharam outubro com saldo positivo. O setor público consolidado, formado por União, Estados e municípios, apresentou superávit primário de R$ 2,9 bilhões em outubro, segundo o relatório de estatísticas fiscais divulgado pelo Banco Central (BC).

De acordo com o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, é a primeira vez que o mês de outubro apresenta superávit primário. “Há uma mudança muito grande neste cenário após, de março ou abril para cá, observarmos déficits primários muito significativos. Este superávit de [quase] R$ 3 bilhões do setor público consolidado vem depois de déficits acima de R$ 100 bilhões mensais em abril, maio e junho”, disse em coletiva sobre o resultado das contas públicas.

Segundo o documento, houve, no Governo Central, déficit de R$ 3,2 bilhões. Já os governos regionais (estados e municípios) e as empresas estatais apresentaram superávit de R$ 5,1 bilhões e de R$ 998 milhões, respectivamente. Até outubro, o déficit primário acumulado do setor público consolidado estava em R$ 632,9 bilhões. No mesmo período de 2019, este item apresentava déficit de R$ 33 bilhões. Segundo o relatório, no acumulado de 12 meses o déficit primário ficou em R$ 661,7 bilhões, representando 9,1% do PIB.

Os juros nominais do setor público consolidado somaram R$ 33,8 bilhões em outubro. No mesmo mês do ano anterior ele estava em R$ 20,3 bilhões. De acordo com o BC, essa progressão foi influenciada pela “evolução desfavorável do resultado das operações de swap cambial” (perda de R$ 7 bilhões em outubro de 2020, ante ganho de R$7,7 bilhões em outubro de 2019). “Nos últimos 12 meses, os juros nominais atingiram R$ 349,2 bilhões (4,8% do PIB), comparativamente a R$ 366,5 bilhões (5,1% do PIB) no acumulado até outubro do ano anterior”, acrescenta a nota divulgada pelo BC.

Com Agência Brasil