STJ e outros órgãos são alvos de ataque hacker

A Polícia Federal vai investigar a autoria

Os ministros e servidores foram alertados para não utilizarem computadores pessoais ligados ao sistema do tribunal

A Polícia Federal (PF) vai investigar a autoria do ataque de hackers ao sistema de informática do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O inquérito será aberto após o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, encaminhar uma notícia-crime à PF. O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, solicitou que o caso seja investigado. Nesta quinta-feira (5) outros órgãos também denunciaram que sofreram ataques criminosos.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) também sofreu uma tentativa de ataque no último domingo. Segundo o órgão, a PF já foi acionada para investigar o caso. Por precaução, também foi efetuado o desligamento do servidor, assim como a realização de um backup. O Ministério da Saúde relatou que o órgão estava sem acesso a internet, linhas de telefone fixo e e-mails. A pasta informou que identificou vírus em algumas estações de trabalho e, para evitar a propagação, bloqueou o acesso à internet, às redes e aos sistemas de telefone. Em nota, o governo do Distrito Federal informou que foi alvo de hackers nesta quinta-feira e que, para garantir a segurança dos dados, tirou todos os servidores do ar.

O ataque ao STJ ocorreu na terça-feira (3) à tarde e interrompeu a transmissão das sessões por videoconferência de seis colegiados. Por medida de segurança, os julgamentos virtuais e os prazos processuais foram suspensos até segunda-feira (9). Os ministros e servidores foram alertados para não utilizarem computadores pessoais ligados ao sistema do tribunal. Segundo o STJ, o setor de tecnologia da informação está trabalhando na recuperação do sistema para que o atendimento jurisdicional será restabelecido. Durante o período de suspensão das atividades, as questões importantes, como habeas corpus e liminares, estão sendo analisadas pela presidência do STJ.

Com Agência Brasil