Eleições nos EUA: as datas e os próximos passos até a divulgação do resultado

SÃO PAULO – Nesta terça-feira (3), milhões de eleitores vão às urnas nos Estados Unidos para decidir se mantêm o atual presidente, o republicano Donald Trump, na Casa Branca, ou se trocam o comando do país para o democrata Joe Biden.

Porém, em mais uma das diferenças do processo eleitoral americano, alguns ritos são cumpridos até a confirmação do vencedor. E, especialmente em 2020, uma série de fatores ainda pode fazer com que a apuração demore mais que o normal para ser concluída.

Nos EUA, muitas das regras eleitorais são estabelecidas em nível estadual, e cada região tem sua forma de fazer a contagem, além disso, por conta de sua dimensão, o país tem muitos fusos diferentes, o que faz com que os horários de encerramento da votação sejam bem variados.

Outro fator que deve afetar bastante o processo de contagem é o alto número de votos por carta este ano, por conta da pandemia do coronavírus. Na última contagem, eram mais de 95 milhões de votos nesta modalidade.

A cédula por carta precisa passar por um processo mais rigoroso de verificação de autenticidade do que a cédula postada na urna, o que naturalmente já implica em um tempo muito maior de apuração. Vale lembrar que nos EUA o processo não é automatizado como no Brasil.

Por fim, há ainda o risco de judicialização do processo, com a contestação dos resultados, principalmente se for uma diferença pequena. Em especial o presidente Trump tem levantado suspeitas, o que deve gerar recontagem de votos caso ele saia derrotado.

Se ocorrer, isso deve atrasar bastante o anúncio do vencedor já que é preciso processar cada estado individualmente onde quiser a recontagem dos votos.

As principais datas para se ficar de olho a partir da abertura das urnas nesta terça:

Data O que ficar de olho
3 de novembro A partir das 21h – Os primeiros estados começam a fechar as urnas e algumas pesquisas de boca de urna devem começar a sair.
4 de novembro 3h da manhã – O último estado, Alaska, fecha suas urnas.
A partir de 4 de novembro Expectativa pelo resultado. Em um processo normal, o vencedor é anunciado neste dia, mas este ano a expectativa é que demore mais dias, ou até semanas.
8 de dezembro Data para resolver disputas internas sobre os resultados. Este dia, conhecido como um “porto seguro”, não é um limite legal, mas apenas uma recomendação protocolar.
14 de dezembro Data limite para que os estados enviem os resultados ao Congresso, com possível extensão até o dia 23 de dezembro.
6 de janeiro de 2021 Data que a Constituição americana determina que o Congresso deve se reunir para oficializar o resultado eleitoral.
20 de janeiro de 2021 Dia da posse. Em 2017, o evento teve início às 11h30, horário local.

Quando sai o resultado?

Essa é a maior dúvida desta eleição. O mais comum é que ainda na manhã do dia posterior à eleição já se tenha um resultado encaminhado ou definido, ainda que o término da apuração demore um pouco mais para acontecer.

Porém, este ano a expectativa é que a apuração seja lenta, e possivelmente ainda não haverá uma grande quantidade de votos apurados no dia 4 de novembro. Além disso, conforme alguns estados mais acirrados e decisivos começarem a ter uma indicação de vencedor, também devem começar a ocorrer os pedidos de recontagem.

Diante disso, por mais que se tenha uma indicação de vencedor, não haverá nada definido enquanto não forem apresentados os números oficiais (considerando recontagens). Este fato, aliás, é apontado como um dos fatores que mais pode deixar o mercado financeiro agitado nestes próximos dias.

Na história americana recente, a eleição de 2000 entre o republicano George W. Bush e o democrata Al Gore ficou marcada pela disputa resolvida apenas na Justiça sobre o resultado na Flórida – estado que este ano também é bem importante. Naquele ano, a eleição ocorreu em 7 de novembro, mas Bush só foi anunciado vencedor em 12 de dezembro.

Em entrevista recente ao InfoMoney, Christopher Garman, diretor da Eurasia baseado em Washington, afirmou que a consultoria espera que um presidente seja declarado vitorioso em dez dias após o fechamento das urnas.

“Dependendo dos estados que Biden levar, podemos saber antes da contagem final dos votos. Alguns estados esperam até o fechamento das urnas para começar a contar as cédulas enviadas pelo correio, mas muitos já começaram essa apuração”, declarou Garman.

E se não houver vencedor até 20 de janeiro?

Se a Justiça e nem Congresso tiverem conseguido resolver os impasses e não tiver nenhum vencedor anunciado até o dia marcado para a posse presidencial, quem assume de forma interina é o presidente da Câmara dos Representantes até que a situação seja resolvida.

Atualmente este cargo é exercido pela democrata Nancy Pelosi, que é candidata à reeleição e deve se manter na função em 2021. Uma situação como essa nunca ocorreu na história dos EUA. E apesar das incertezas, as chances de acontecer algo assim agora são bem baixas.

Você sabe o que é 3×1? Clique aqui e assista de graça a estratégia de opções que busca triplicar o capital investido em um mês.

The post Eleições nos EUA: as datas e os próximos passos até a divulgação do resultado appeared first on InfoMoney.