São José dos Pinhais registra salto em investimentos de 2018 para 2019

Levantamento da FNP trouxe dados de 17 cidades da região Sul

Com uma população de 323.340 habitantes, o município saiu de um investimento de R$ 34,4 milhões em 2018, para R$ 76,5 milhões no ano seguinte

Levantamento realizado pelo anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, lançado neste mês pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), aponta que São José dos Pinhais (PR) foi a que registrou o maior crescimento nos investimentos em 2019, entre as 17 cidades do Sul selecionadas para o estudo, com 122,1% (confira a tabela com os dez primeiros colocados, pelo valor do investimento, ao final desta reportagem).

Com uma população de 323.340 habitantes, o município saiu de um valor de R$ 34,4 milhões em 2018, cifra que estava bastante reduzido para o padrão histórico da cidade, para R$ 76,5 milhões em 2019. A segunda cidade com maior aumento do índice foi Joinville (SC), com 75%, saltando de R$ 49 milhões para R$ 85,8 milhões no período analisado. Ressalte-se que também neste caso, o nível do investimento de 2018 estava abaixo do padrão histórico.

Em valores absolutos, Curitiba (PR) foi a que mais investiu na região em 2019, totalizando R$ 402,6 milhões, seguida pelas capitais Porto Alegre (RS), com R$ 253,1 milhões, e Florianópolis (SC), com R$ 216,5 milhões. Segundo a publicação, a capital do Rio Grande Sul foi a única que registrou queda nos investimentos (-17,6%).

A maior redução, entre as selecionadas, foi a de Maringá (PR), com -43,3%. Na 15ª edição do anuário, o município ocupou a segunda colocação em crescimento na região. Viamão (RS) foi a segunda maior redução, com 18,4%, seguida de Porto Alegre e de Foz do Iguaçu, com 6,5%.

Somados, os investimentos de todos os municípios do Sul em 2019 registraram um aumento de 17,9%, aproximadamente, comparados ao ano anterior, saindo de R$ 7,8 bilhões para R$ 9,2 bilhões, o que representou um avanço de 19,5%.

Em sua 16ª edição, o anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios da Brasil utiliza como base números da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentando uma análise do comportamento dos principais itens da receita e despesa municipal, tais como ISS, IPTU, ICMS, FPM, despesas com pessoal, investimento, dívida, saúde, educação e outros.