Agibank adota home office permanente

A companhia terá um grande campus em Campinas e hub de inovação em Porto Alegre

Em Campinas, o banco também integrará um hub de tecnologia, ocupado hoje por outras grandes corporações

O Agibank optou por adotar o home office permanente, e assim, os funcionários poderão atuar em diversos pontos do país. A companhia terá um grande campus em Campinas (SP), cidade tida como referência quando o assunto é inovação e negócios. A ideia é que o campus em São Paulo inaugure uma nova fase da trajetória do banco. O investimento no empreendimento foi de R$ 20 milhões. O Agibank também anunciou a criação de um lab de tecnologia junto ao Instituto Caldeira – hub de inovação localizado no 4º Distrito, em Porto Alegre.

O Agibank, que recentemente anunciou a Vinci Partners como novo sócio, entende que todos esses movimentos são essenciais para consolidar a atuação nacional e dar conta dos novos comportamentos, elegendo a flexibilidade como o melhor caminho para a atração e retenção de talentos. “Todas essas novidades inauguram uma nova fase da nossa trajetória e sinalizam que os nossos sonhos já que não cabem em um só lugar. E as pessoas que quiserem construir o futuro do banco digital com a gente poderão trabalhar realmente de onde quiserem: em casa, fora do Brasil, no nosso lab de tecnologia em Porto Alegre ou no nosso novo campus em Campinas”, comenta Marciano Testa, CEO do Agibank.

Com o lab no Instituto Caldeira, que deverá contar com cerca de 200 posições de trabalho, a ideia é acelerar a inovação e atuar ainda mais próximo de startups e das empresas gaúchas. Em Campinas, o banco também integrará um hub de tecnologia, ocupado hoje por outras grandes corporações, em um complexo totalmente aderente às práticas ESG de sustentabilidade. O banco, que abriu em julho as portas da sua primeira loja conceito em Porto Alegre, no bairro Moinhos de Vento, preencheu 580 vagas de trabalho somente durante a pandemia e tem 35% do quadro de colaboradores alocado no Rio Grande do Sul.