GABI vai às compras na Gerdau

Empresa desenvolve tecnologia de automação para otimizar área de suprimentos

Batizada como GABI, ela consiste em uma plataforma completamente autônoma de compras, sem interação humana

Nos últimos anos, a Gerdau passou por uma profunda transformação cultural que deu sustentação a outra virada em pleno andamento na companhia: a transformação digital. Um exemplo disso é a automatização de alguns processos antes feitos manualmente por alguns setores. A empresa desenvolveu internamente uma tecnologia de automação de processos (RPA, em inglês) para otimizar a rotina da área de suprimentos. Batizada como GABI (acrônimo de Gerdau Autonomous Buying Intelligence), ela consiste em uma plataforma completamente autônoma de compras, sem interação humana.

O projeto teve seu primeiro pedido realizado em julho de 2019. Atualmente, já são realizadas 1 mil encomendas por mês. “Dessa forma, os colaboradores estão com seus esforços voltados a atividades mais estratégicas na área de suprimentos. O trabalho do robô consiste na identificação das demandas internas, solicitação de cotação para selecionar potenciais fornecedores e emissão de pedidos de compras”, conta Christian Correa dos Santos, gerente geral tecnologia de aços especiais da Gerdau.

A companhia também mantém um Núcleo de Inovação e Materiais Avançados (NIMA), o qual estuda soluções inovadoras para o setor e um dos temas em análise no momento é a produção de aço a partir de impressoras 3D. Recentemente a companhia, que se inscreveu no ranking Campeãs da Inovação com a Usina Riograndense, também criou uma empresa própria para trabalhar com grafeno.

Esse conteúdo integra a edição 337 de AMANHÃ que revelou quem são as empresas mais inovadoras do Sul. Clique aqui para acessar a publicação on-line, mediante pequeno cadastro.